Sesab adota medidas de proteção e orientação de jovens e adolescentes

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) determinou a adoção de todas as medidas necessárias para proteger e orientar adolescentes em razão de suspeitas de tentativas de suicídio estimuladas pelo jogo virtual Baleia Azul.

Nesta quinta-feira (20), o secretário da saúde Fábio Vilas-Boas anunciou a criação de uma força tarefa para investigar casos de jovens que procuraram assistência hospitalar nos últimos dias por conta de atos de automutilação e outros ferimentos autoprovocados.

Ele também reforçou a importância da atenção dos pais de jovens e adolescentes. “A orientação aos pais e educadores dos jovens é que se registre a ocorrência, seja preservado o material (celular e/ou computador) e prestado atendimento médico imediato”.

A Sesab determinou que hospitais, prontos socorros, unidades de saúde e demais serviços de atendimento médico na Bahia redobrem a atenção em situações de automutilação e uso inadequado de medicamentos por crianças e adolescentes.

Para a família, a recomendação da pasta é que, ao identificar algum comportamento suspeito, leve a criança ou adolescente para a unidade de saúde mais próxima. A situação é delicada e os pais devem ficar atentos ao comportamento de seus filhos. Trata-se de um jogo criminoso que tomou conta das redes sociais e está vitimando crianças.

Uma nota técnica da secretaria vai orientar a conduta dos profissionais de saúde frente a este tipo de situação. Além disso, uma rede de serviços esta à disposição para dar suporte aos casos que forem registrados, tanto com assistência clínica quanto psicológica, em unidades como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e o Núcleo de Prevenção ao Suicídio do Centro Antiveneno da Bahia.

Caso haja algum sinal de automutilação, o encaminhamento deve ser feito para o pronto socorro, de um hospital ou de uma Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA). Órgãos de saúde, educação e segurança pública estão trabalhando em conjunto para dar uma resposta à sociedade frente a este grave problema.

Sinais de alerta

Adolescentes saudáveis também podem ser atraídos pelo jogo por curiosidade ou pela sedução do proibido e acabar se colocando em perigo. Por isso, é importante ficar atento aos sinais de que os filhos possam estar entrando na brincadeira ou estejam precisando de ajuda. Alguns deles são:

•          Isolamento ou apatia

•          Agressividade

•          Mudança de comportamento

•          Não deixar os pais chegarem perto de seu celular ou computador

•          Usar manga comprida em dias de calor

•          Queda no rendimento escolar

•          Mudanças no padrão de sono

•          Mudanças de apetite

•          Cortes pelo corpo

Mesmo se não identificarem os sinais de que o filho esteja participando do jogo, é importante que os pais abram um canal de diálogo sobre o assunto. Os pais devem falar do jogo e perguntar se os adolescentes conhecem ou já tiveram algum contato.

É fundamental que reforcem os cuidados quanto a mudanças de comportamento dos estudantes – como alterações de humor, de rotina, vestimenta – ou o aparecimento de marcas no corpo e mesmo de tatuagens.

Importante é manter as crianças e adolescentes protegidos e com a assistência necessária. Em casos de identificação de comportamentos suicidas, deve-se ligar para Centro de Informações Antiveneno (0800 284 4343), que funciona 24 horas, ou para o telefone 141, para receber orientações de como proceder.

Ouvidoria da Educação realiza formação com técnicos dos Núcleos Territoriais

Técnicos dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) estão participando de encontro formativo promovido pela Ouvidoria da Educação em parceria com a Ouvidoria Geral do Estado (OGE), iniciado ontem (25.06) e segue pelo dia de hoje. A atividade, que acontece no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, tem o objetivo de debater a Ouvidoria como instrumento de participação social e as principais atividades do órgão, que visa aperfeiçoar o atendimento prestado à população em todo o Estado.

 Ouvidoria da Educação realiza formação para técnicos dos NTE (7)

O subsecretário da Educação, Nildon Pitombo, falou sobre a importância deste instrumento de aproximação do Estado da sociedade. “A nossa expectativa como educadores é trabalharmos no sentido pedagógico, educando o cidadão para a importância do exercício da cidadania através da instrumentalização da Ouvidoria como ferramenta de participação e controle social. Por isso, devemos estar preparados e munidos de conhecimento para evitarmos os ‘denuncismos’ e para prestarmos o melhor serviço”, afirmou.

Segundo o Ouvidor da Educação, Francisco Neto, o encontro serve também para a troca de experiências e para intensificar ações que popularizem o órgão. “Além do atendimento, temos o acesso direto às escolas por meio do projeto ‘Ouvidoria Vai à Escola’, que promove atividades para incentivar gestores, estudantes, funcionários e professores a conhecerem e procurarem o nosso trabalho. A Ouvidoria da Educação também é a responsável pela gestão da Lei de Acesso à Informação, por isso temos que estar preparados para utilizá-la e disseminá-la como processo democrático do País”.

A assessora técnica da OGE, Juçara Gonçalves Reis, destacou o papel do órgão neste atendimento ao público. “Estamos em primeiro lugar em eficácia no atendimento passivo e isso está ligado a uma boa parceria com todos os órgãos na procura da melhor resposta. Por isso, é importante que os técnicos do NTE procurem a sede da Secretária da Educação sempre que tiverem dúvidas sobre os procedimentos. Ainda lembrando, que o direito de acesso à informação é constitucional e vem cada vez mais se aprimorando”, ressaltou.

Para a técnica da Ouvidoria da Educação, Izaura Sousa, do Núcleo Territorial de Educação de Feira de Santana (NTE-19), “A importância do encontro realizado  pela  Ouvidoria  da Educaçao em conjunto com Ouvidoria Geral do Estado veio agregar troca de experiências e aperfeiçoar o alinhamento nas orientações na implementaçao dos Projetos Ouvidoria Vai à Escola e Ouvidoria Ativa para 2017.”, disse.

Participaram da abertura do encontro o diretor Geral do IAT, Severiano Alves, e o coordenador de Articulação dos Núcleos Territoriais de Educação (CONTE), José Barreto Bittencourt.

 

Fotos: Liviane Barbosa

Educadores discutem e socializam avanços da Educação Integral na rede estadual

A Secretaria da Educação do Estado está ampliando a oferta da Educação em Tempo Integral na rede estadual de ensino. Neste ano letivo 93 escolas já ofertam a modalidade, beneficiando 21.093 mil estudantes de 46 municípios. E é com o objetivo de discutir os avanços do Programa de Educação Integral (PROEI), potencializar as ações do programa e fortalecer a relação da escola com as famílias e a comunidade, que a Secretaria da Educação do Estado promove o 1º Encontro Formativo, iniciado nesta terça-feira (25), com atividades até quarta (26), no auditório do Museu de Arte da Bahia, em Salvador.
As escolas inseridas no PROEI têm um projeto pedagógico que leva em consideração a formação humana e integral dos estudantes, preparando-os para a vida a partir de experiências educativas, científicas, artísticas, culturais e esportivas. O superintendente de Políticas para o Desenvolvimento da Educação Básica da Secretaria da Educação, Ney Campelo, falou sobre o diferencial da Educação em Tempo Integral. “Temos experiências riquíssimas na Educação Integral. E pensar em Educação Integral é pensar na missão essencial, que é a formação integral do estudante; é pensar em Arte-Educação como um passo fundamental para a melhoria da Educação”.
O evento contou com a participação do coordenador de Gestão Pedagógica da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc), Rogers Mendes. Ele falou sobre a experiência da rede estadual no Ceará, que conta com 71 escolas do Ensino Médio regular com Educação em Tempo Integral e dos desafios na oferta desta modalidade. “O grande desafio é o desenvolvimento de um currículo que se articule com os projetos de vida dos jovens estudantes, de modo a proporcionar uma educação repleta de sentido. Considerando esta análise, é muito importante que haja uma diversificação dos itinerários formativos. Nas Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, que no Estado do Ceará funcionam com 45 horas semanais, essa premissa pode se materializar com mais possibilidades”, afirmou.
Experiências positivas
Para o vice-diretor do Colégio Estadual Juiz Farias Góes, em Feira de Santana, Felipe Abreu, a experiência da Educação Integral estreita o contato com os estudantes, contribuindo para o processo de ensino e aprendizagem. “Dei a sorte de entrar, em 2010, para a rede estadual e, hoje, posso dizer que Juiz Góes é o melhor lugar do mundo, onde estão as melhores pessoas e os mais competentes profissionais. Foi com a Educação Integral que quebramos as distâncias entre gestão e alunos, e isto significa uma maior aproximação nossa do universo estudantil. Assim, compreendendo o universo particular do aluno, passamos a não dar ordens e sim encaminhamentos, gerando um diálogo importante e necessário para o processo educacional”, afirmou.
O ex-aluno do Colégio Estadual Ypiranga, Bruno Oliveira, hoje funcionário da unidade escolar e estudante universitário de História, depôs com entusiasmo sobre a Política de Educação Integral do Estado. “Sou fruto da Educação Integral. Falar desta modalidade é falar do Ypiranga, onde cheguei aos dez anos e conclui o Ensino Médio em 2015, aos 17 anos. Mas fui logo convidado para continuar na escola para ajudar nas atividades integrais. Foi a partir daí que me apaixonei ainda mais pela Educação Integral por entender que é uma forma de aproximar mais aluno e professor e, consequentemente, melhorar o processo de ensino e aprendizagem”, disse.
O professor do Colégio Estadual Luiz Tarquínio, Claudio Faria, ressaltou que a profissão de professor requer a manutenção do encantamento e de perceber o universo do outro cotidianamente. “Particularmente na Educação Integral, o que mais me encanta são os seus pressupostos básicos: a multiplicidade de dimensões, o que significa entender que o estudante é um corpo dotado de subjetividades; a multiplicidade do tempo, observando que é preciso respeitar o tempo de aprendizado de cada um, e multiplicidade de espaço, entendendo que a sala de aula não é o único local onde se dá o processo de ensino e aprendizagem”, enumerou.

Carteira de estudante é obrigatória para meia-entrada em espaços culturais

Documentos como o comprovante de matrícula não garantem mais a meia-entrada para os alunos de escolas e universidades. O documento obrigatório para a concessão do benefício é a carteira de estudante, com base na lei federal nº 12.933/13. A regra vale para espaços culturais baianos, a exemplo do Teatro Castro Alves (TCA) e da Concha Acústica. Além dos locais de eventos ficarem responsáveis por exigir o documento, o Ministério Público do Estado (MPBA) vai intensificar as fiscalizações e notificou os estabelecimentos para que a lei seja cumprida.
O documento é também uma forma de garantir o direito dos alunos, impedindo que ele seja usufruído por outras pessoas, é o que acredita o coordenador para Salvador e região metropolitana da União dos Estudantes do Brasil (UEB), Tauan dos Santos. “Os estabelecimentos precisam destinar 40% dos seus lugares ou ingressos para meia-entrada. Exigir a apresentação da carteira de estudante vai garantir que essas vagas sejam ocupadas pela classe estudantil, já que documentos como comprovante de matrícula podem ser fraudados. As entidades estudantis querem o cumprimento da lei, principalmente para defender os interesses da classe”, afirma Tauan.
Foto: Carol Garcia/GOVBA
(Foto: Carol Garcia/GOVBA)
Com a regra que passa a valer para todos os estabelecimentos, as carteiras atestam a condição de estudante com foto e dados pessoais, a exemplo de nome completo e CPF. Elas têm o prazo de validade de um ano e podem ser confeccionadas pelas seguintes entidades: Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), entidades estaduais e municipais filiadas, além dos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) e Centros e Diretórios Acadêmicos.
Fonte: Secom

 

Estudante de Feira de Santana estuda Física Nuclear e desenvolve pesquisa sobre a matriz energética da Bahia

O estudo da Física Nuclear, Astronomia, Matemática e Bioquímica tem tornado o estudante Rodrigo Damasceno Sampaio, 16, em um pesquisador da matriz energética da Bahia. O interesse do aluno pelo assunto começou em um projeto desenvolvido em sala de aula juntamente com  a colega Evelin Costa, ambos do 2º ano, do Colégio Estadual Ernesto Carneiro Ribeiro, localizado em Feira de Santana (113 km de Salvador). Pela iniciativa, selecionada para a 6ª Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA), o estudante conquistou uma bolsa de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Intitulado “A matriz energética no Estado da Bahia: análise do potencial nuclear x potencial hidrelétrico”, o projeto tem o objetivo de difundir o conhecimento cientifico sobre os processos de produção (transformação) de energia. Rodrigo Sampaio destaca a relevância do projeto. “A pesquisa é importante devido a necessidade atual de se conhecer formas mais eficientes de exploração da energia e que causem o mínimo de impacto ambiental”, comenta o estudante.IMG-20161205-WA0017

Rodrigo Damasceno pretende aprimorar sua pesquisa a partir de novos estudos sobre energias solar e eólica como fonte de energia para a Bahia, o Nordeste e o Brasil. O jovem pesquisador acrescenta que “o projeto leva a uma discussão sobre as vantagens e desvantagens da exploração dos recursos naturais, seus impactos ambiental e social e como isso afeta diretamente a nossa região”, afirma.

De acordo com o professor de Física e orientador do projeto, André Bastos da Silva, o projeto é de grande alcance social e muito contribui para o processo de ensino e aprendizagem. “Estudar as matrizes energéticas proporciona ao estudante um aprendizado prático de muitos conteúdos de sala de aula. Afinal estamos tratando de várias fontes de energia disponíveis e é essencial conhecê-las fazendo o melhor uso de cada uma delas, sempre levando em consideração a sustentabilidade, os fatores socioambientais, entre outros”, afirma o educador. O professor ainda ressalta que “a Bahia tem um grande potencial energético para hidrelétricas e para a extração de urânio, o que nos coloca em posição central para o desenvolvimento da região e, consequentemente, para o crescimento nacional”.

Educadores discutem reestruturação das provas de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio

Professores da rede estadual, que atuam nas Comissões Permanentes de Avaliação (CPA) – responsáveis pela aplicação dos exames de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio, além de coordenadores pedagógicos e revisores que atuam nas CPA participam da III Oficina Pedagógica para a Elaboração de Itens das Comissões. O evento, que começou ontem e segue até esta quarta-feira (19), acontece no Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde do Centro Baiano, localizado em Feira de Santana (há 108 km de Salvador), na região Centro Norte do Estado.

O objetivo é discutir a política de certificação do Estado, socializar avanços do Sistema CPA Online e orientar a elaboração de itens – questões das avaliações – que irão constituir e formar o banco estadual de itens do CPA. A ideia é padronizar as provas, a partir de parâmetros nacionais de elaboração de itens, conforme explica a coordenadora do Ensino de Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria da Educação do Estado, Rita de Cássia Oliveira.

“Com isso, passaremos a rodar provas padronizadas para todo o Estado, porque atualmente cada CPA elabora suas questões. A partir file3-1dessa padronização, os itens passam a ser de um único banco. Isso vai gerar melhor qualidade nas questões elaboradas, riqueza no número e diversidade de itens, com uma série de possibilidades de criação de novas questões. Será um ganho que a gente vai ter com o banco estadual de itens’, explica a coordenadora. Além disso, acrescenta Rita de Cássia Oliveira, o Sistema CPA Online será ampliado, otimizando o trabalho que a Secretaria vem desenvolvendo nas comissões, para atender um maior número de candidatos, com maior qualidade e um tempo mais curto, no que diz respeito certificação da Educação Básica.

file1-1Moema de Abreu, professora do Colégio da Polícia Militar Rômulo Galvão, em Ilhéus (há 446 km de Salvador), na região Sul do Estado, é uma das participantes do encontro e fala sobre a importância desta padronização dos itens e da otimização do sistema. “Este aperfeiçoamento no sistema irá facilitar bastante a vida do professor e do candidato que vai fazer a CPA. Será mais prático, porque sem sair de casa, o candidato poderá acessar o sistema, fazer sua inscrição, ver sua nota, seu certificado e até solicitar atestado. É um ganho de tempo, principalmente, para quem reside distante da escola”, comemora.

De acordo com a coordenadora da Educação Básica, do Núcleo Territorial de Educação de Feira de Santana (NTE 19), Waleska Cordeiro de Lima, é pertinente a ideia de discutir os itens da CPA, já que é uma avaliação diferente da modalidade de aprendizado. “Discutir sobre a Educação de Jovens e Adultos é oportunizar a este público ir além; é dar uma nova chance a alguém que, por algum motivo, teve que interromper os estudos. Este encontro é justamente para isso: subsidiar a elaboração dos itens e repensar de forma criteriosa a elaboração dessa prova, que não vai simplesmente avaliar uma unidade ou um semestre, vai avaliar um percurso, o que o indivíduo traz e o que ele formou durante sua vida e dos conteúdos das diversas disciplinas de acordo com a modalidade, sejam elas do Ensino Fundamental ou Médio”.

 

Fotos: Assessoria NTE-19

Estudantes da Escola Estadual Régis Bittencourt mostram talento em 1º Festival de Teatro em Feira

A Escola Estadual Regis Bittencourt – Tempo Integral, no bairro Pedra do Descanso, em Feira de Santana, recebeu neste inicio do mêsEstudantes da Escola Régis Bittencourt mostram talento em I Festival de Teatro em Feira de Santana  (2) de abril, a visita dos portais Terra de Lucas e Nas Manhas. Eles acompanharam uma manhã de apresentações culturais voltadas às artes cênicas, intitulada “I Festival de Teatro”, evento idealizado e organizado pelo professor, Joedson Fonseca, com apoio da diretora da instituição, Maria Luiza Conceição.

Na oportunidade observou-se o empenho dos docentes e funcionários da escola na apreciação ao Festival, assim como, a recepção dos estudantes e convidados que assistiram às apresentações, as quais contaram com uma calorosa plateia e um corpo de jurados composto por professores e profissionais do teatro feirense, tais como, o educador e ativista Cultural, Redivaldo Ribeiro, o diretor de teatro e ator, Sonicleibe Guedes, a atriz Lia Falcão, e a atriz, Bianca Silva, e o ator e performer, Adalberto Costa.

Os estudantes encenaram releituras de clássicos como: “O Cravo e a Rosa”, “João e Maria”, “Deu a louca em Romeu e Julieta”, Estudantes da Escola Régis Bittencourt mostram talento em I Festival de Teatro em Feira de Santana  (6)“Conhecendo a árvore”, entre outras. Pontos importantes a se destacar são o talento dos jovens estudantes e as considerações feitas pelos profissionais do teatro que estavam como jurados. “O teatro é muita importância pra todas as profissões ajudando no desenvolvimento de habilidades diversas, a gente tem que ver que ele agrega valor à nossa vida pessoal e profissional,” exclamou o educador Redivaldo Ribeiro.

FOTOS: Marcone Reis

fonte: Terra de Lucas

Estudantes participam de jogos estudantis em Coração de Maria

As etapas dos Jogos Es­tu­dantis da Rede Pú­blica (JERP) estão movimentando as escolas das redes estadual e municipais no interior, com a disputa de diferentes modalidades como futebol masculino e feminino e de handball. Os jogos são promovidos pela Secretaria da Educação do Estado, para fortalecer as práticas esportivas no currículo da Educação Básica. No Colégio Estadual Maria José de Lima Silveira, no distrito de Retiro, em Coração de Maria, 60 estudantes participam, durante esta semana, de amistosos para selecionar os times masculino e feminino de futebol que irão disputar a etapa final dos jogos, em Salvador.1204_JERP_Col. Est. Maria José de Lima Silveira_Coração de Maria 7

Emerson Borges, 16, 2º ano, e Marcus Bittencourt, 17, 1º ano, estão empolgados. “Estou agoniado para começarem as partidas. Sou bom de futebol. Gosto tanto que jogo todos os dias depois de estudar. Esse campeonato vai ser muito bom para estimular o esporte entre os colegas”, declara Emerson Borges.

O colega Marcus Bittencourt também não disfarça a sua ansiedade: “Estou doido para que comecem logo as partidas oficiais do JERP, em nossa escola. Sinto-me lisonjeado por ter sido selecionado e difundir o esporte é sempre importante para afastar os estudantes de coisas ruins, sem falar que é motivo de diversão e de fazer amigos. Gosto demais de futebol e sou atacante de fazer gol”, garante.

No próximo dia 26, destaca o professor de Educação Física do Colégio Estadual Maria José de Lima Silveira, Fernando Valverde, acontece a disputa de futebol masculino com o time de estudantes da Escola Municipal David Mendes, também de Coração de Maria. “Pelo quinto ano consecutivo, vamos participar dos Jogos Estudantis. Os nossos estudantes estão muito empolgados com a oportunidade de participarem, mais uma vez, de um torneio que é realizado a partir de um projeto didático-pedagógico para o fomento da prática de atividades físicas no ambiente escolar”, destaca. A experiência, completa o professor, tem sido positiva pois estimula o trabalho em equipe e as atitudes racionais, tais como respeito às regras e ao adversário, além de avaliar, através do esporte, os procedimentos e as atitudes dos estudantes frente às vitórias e perdas.

Educadores e gestores escolares têm até o dia 30/04 para participar do Formacenso

Professores, coordenadores pedagógicos e gestores das unidades escolares da rede estadual de ensino têm até o dia 30 de fmc-a3-v4abril para participar do Censo da Formação dos Profissionais da Educação Básica (Formacenso). A iniciativa da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, realizada pelo Instituto Anísio Teixeira (IAT), busca valorizar os profissionais da educação básica, promovendo uma consulta sobre o interesse de participação em processos de formação, com o objetivo de subsidiar a oferta de cursos a serem realizados pelo IAT.

O formulário será online e está disponível no endereço formacenso.educacao.ba.gov.br.

De acordo com o diretor-geral do IAT, Severiano Alves, o Formacenso é o primeiro passo para a execução do Plano de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica, proposto pelo Instituto em articulação com a Superintendência de Políticas para a Educação Básica (Suped). “Precisamos ter um levantamento da real necessidade da rede estadual e, também, dos desejos dos educadores e gestores para o seu plano de carreira. Com a demanda dos profissionais nas mãos, podemos planejar e ofertar cursos de formação continuada”, afirmou Severiano.

A diretora de Formação e Experimentação Educacional, Daday Sales, ressaltou a importância do Formacenso para o processo formativo dos educadores. “Para as ofertas de formação continuada é preciso considerar a formação, a atuação e o interesse dos profissionais que serão atendidos. Com o Formacenso, teremos essas informações atualizadas, o que nos dará melhores condições de planejar a atualização da formação acadêmica, aperfeiçoamento profissional e pedagógico. A Secretaria, por meio do IAT, poderá, dessa forma, promover ofertas que vão ao encontro das expectativas e das necessidades de formação continuada de sua rede e são significativas para os seus profissionais, na perspectiva de assim melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem”, disse Daday.

Plano de Formação dos Profissionais da Educação

O Plano de Formação tem como objetivo contribuir com o cumprimento da meta 16 dos planos nacional e estadual de educação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e o decreto Nº 8.752, que trata da Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica, garantindo a melhoria da qualidade da educação básica. O Plano de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica contempla três programas, interdependente e complementares: o de Formação e Desenvolvimento dos profissionais da educação, o de Tecnologias e Mídias Educacionais e o de Pesquisa Inovação Pedagógica, todos desenvolvidos pelo Instituto Anísio Teixeira.

Reforma do ensino noturno é discutida por educadores em Feira de Santana

Como deve ser o ensino noturno, de modo que possa atender às características e necessidades dos estudantes que trabalham durante o dia e frequentam a escola no período da noite? A pergunta norteia as discussões do I Encontro Formativo sobre o Ensino Médio noturno, promovido, nesta terça-feira (11), pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, na sede do Núcleo Territorial de Educação (NTE 19 – Feira de Santana). A atividade conta com a  participação de gestores, diretores e professores articuladores.

 IMG-20170411-WA0005

O objetivo é discutir uma proposta diferenciada de Educação, já pensando na reforma do Ensino Médio com o público específico dos Centros Noturnos da Bahia (CENEB). Os CENEB são unidades da rede estadual que possuem uma metodologia diferenciada, cuja proposta pedagógica é pautada em três dimensões – Mundo do Trabalho; Ciência e Tecnologia e Arte e Cultura -, de modo que estimulem os estudantes trabalhadores a darem continuidade aos estudos.

A coordenadora de Ensino Médio da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Tereza Farias, fala sobre a importância desta reformulação, que deve contextualizar os saberes formais da escola com os saberes que os estudantes jovens e trabalhadores trazem da experiência com o mundo do trabalho. “Vamos articular uma nova forma de melhor acolher as especificidades dos estudantes do Ensino Médio dos CENEB, trazendo uma dimensão forte do mundo do trabalho, alterações na arquitetura curricular do Ensino Médio no CENEB, concatenando com os conteúdos curriculares que estão dentro da estrutura da matriz curricular desses centros, visando, com isso, aumentar o desempenho escolar e o estímulo pela permanência na escola”, afirma.

  

Foco no pedagógico – A coordenadora da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria da Educação do Estado, Rita Oliveira, explica que o diálogo gira em torno de atividades pedagógicas integradoras, fortemente ligadas ao mundo do trabalho, a partir de estratégias, a exemplo de aulas mais criativas, que tornem, cada vez mais, o aluno ator do seu conhecimento. “O processo de permanência e sucesso desses jovens e adultos trabalhadores em sala de aula implica na efetiva proposição de ações que qualifiquem o trabalho pedagógico nesse turno de estudo, com a realização, por exemplo, de pesquisas orientadas e projetos de intervenções sociais, contribuindo para a elevação da escolaridade dessa população economicamente ativa que não tem como frequentar a escola durante oIMG-20170411-WA0007 dia”, ressalta.

A rede estadual conta, atualmente, com dez Centros Noturnos da Bahia: Salvador (três), Feira de Santana, Vitória da Conquista, Conceição do Coité, Jacobina, Campo Formoso, Senhor do Bonfim e Cachoeira. No total, são 4.785 estudantes (1.673 Ensino Médio e 3.112 Ensino de Jovem e Adulto – EJA) matriculados.

Fotos: Darlan do Ouro