CJCC de Feira de Santana ensina a fazer instrumento musical com plástico e relaciona atividade com Física e Matemática

Os estudantes do Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Feira de Santana (CJCC) estão colocando a criatividade em prática nas oficinas ofertadas pela unidade da rede estadual de ensino. Por meio da oficina “Sons do plástico”, realizada durante esta semana, eles aprenderam a confeccionar instrumentos musicais com plásticos recicláveis como garrafas pet, embalagens de produtos de limpeza, canos e sacos, além de latas de metal. A oficina, realizada gratuitamente, envolveu estudantes da Educação Básica e do Ensino Superior. Uma das coisas que chamam a atenção é que durante a construção dos instrumentos foram agregados conhecimentos de disciplinas como Matemática e Física.

Dente os instrumentos musicais de percussão e de sopro que os participantes aprenderam estão: pífano, que é uma flauta criada com cano PVC; flauta de pan, que é feita com mangueirinha de chuveiro; ganzá, que é confeccionado com metal e plástico; e o djembe, instrumento de origem africana, criado com caqueiro de planta e saco plástico e que possui um som semelhante ao do timbal.

De acordo com a professora da oficina, Sara Dumont Fadigas, a atividade interdisciplinar, com foco na conscientização ambiental, contribuiu para o aprendizado de diferentes conteúdos. “Na oficina, eles aprenderam os contextos históricos por trás de cada instrumento, como os sons são produzidos, além de conteúdos de disciplinas como Matemática e Física, a exemplo de frações, proporções, comprimento de ondas, sons em tubos fechados e outros”, destacou a educadora.

O estudante Miguel Pinheiro Barbosa, 17, que cursa Música na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), disse que gostou muito da proposta da oficina envolvendo a reciclagem. “Achei muito interessante, pois podemos reaproveitar materiais que seriam descartados para produzir instrumentos úteis e funcionas. Além do aprendizado sobre música, a atividade contribuiu para a preservação do meio ambiente”, afirmou.

William Marques Pinheiro, 19, que estuda Matemática na UEFS, disse que ficou surpreso em poder relacionar a Matemática com a música. “Toco Violoncelo e achei muito legal ver, na prática, o link dos conteúdos de Matemática com a música, a exemplo da corda pitagórica”, disse o estudante.

 Fotos: Divulgação

Secretaria da Educação do Estado e UNICEF realizam ações para Busca Ativa de estudante fora da escola

Especialistas do UNICEF irão realizar o Plantão Busca Ativa, na próxima segunda-feira (17), às 15h, pelo canal do You Tube (youtube.com/UNICEFBrasil). O momento será dedicado para tirar dúvidas e orientar os municípios da Bahia sobre essa iniciativa que tem como principal objetivo combater a exclusão escolar. A Secretaria da Educação do Estado (SEC) é parceria da UNICEF nesta ação que visa identificar estudantes que estejam fora da escola. A transmissão do Plantão Busca Ativa também poderá ser acessado simultaneamente pelo Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).  

A Busca Ativa Escolar (BAE) é uma plataforma gratuita cuja intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

Essa iniciativa é desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (CONGEMAS), e aqui na Bahia a parceria é ampliada com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia na mobilização dos municípios baianos.

Segundo o superintendente de Gestão da Informação Educacional do Estado, Rainer Guimarães, a Bahia tem cerca de 100 mil estudantes na faixa etária de 15 a 17 anos fora da escola e a parceria da UNICEF com a SEC traça estratégias para reverter este quadro. “Uma das estratégias desta parceria é envolver cada vez mais as diversas redes de ensino no monitoramento da frequência dos estudantes e articular a rede de proteção social, a exemplo dos conselhos tutelares, para identificar crianças e adolescentes que estejam fora da escola”.
Foto: Ilustrativa/ Claudionor Jr

EMITEC beneficia estudantes de áreas remotas da Bahia

Por meio do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC), o Estado garante o acesso à educação aos estudantes que moram em áreas remotas da Bahia. Em 2019, o EMITEC atendeu a 18.107 estudantes de 133 municípios, totalizando 1.076 turmas. Desde 2011, quando foi implantado, o EMITEC já formou mais de 32 mil estudantes.

 O EMITEC faz uso de uma rede de serviços de comunicação multimídia, integrando dados, voz e imagem como alternativa pedagógica para atender a jovens e adultos que moram em localidades distantes ou de difícil acesso, onde não há oferta do Ensino Médio. As aulas são transmitidas via satélite e em tempo real, a partir dos estúdios de TV instalados no Instituto Anísio Teixeira, para 351 localidades afastadas dos centros urbanos. Os estudantes acompanham as aulas e tiram dúvidas com auxílio de um mediador e com a vantagem de estarem perto de suas casas.

 A estudante Viviane Barreto de Sena, 20 anos, moradora de Lagoa Bonita, distrito de Buritirama, está no 3º ano do EMITEC. Ela assiste às aulas no Centro de Ensino Estevo Moreira dos Santos e falou sobre a experiência. “Moro bem próximo da escola e o EMITEC facilitou muito para os estudantes da comunidade, principalmente para mim, pois sou casada e tenho um filho de dois anos e preciso ficar perto dele”, afirmou. Juliana da Silva Souza, 16, 3º ano, mora e estuda no povoado de Pirajá, distrito de Itamaraju, na Escola Municipal Eraldo Tinoco. “Levo 15 minutos para chegar na escola, onde tenho aulas através do EMITEC. Sem este acesso eu levaria em torno de uma hora de viagem para estudar na cidade mais próxima, que é Itamaraju. Graças ao EMITEC, posso ter um estudo excelente, com ótimos professores, sem ter que deixar a minha casa

Fotos: Divulgação

Escolas estaduais poderão abrigar cursos de graduação da UFBA

Escolas da rede estadual de ensino poderão abrigar cursos de graduação oferecidos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). A rede estadual de ensino já conta com experiências exitosas neste contexto por meio dos Complexos Integrados de Educação (CIEs), unidades da Secretaria da Educação do Estado (SEC), que funcionam em escolas localizadas em Porto Seguro, Itamaraju e Itabuna, em parceria com a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), e em Ipiaú e Eunápolis, em parceria com a Universidade do Estado da Bahia (UNEB). A parceria com a UFBA foi discutida nesta terça-feira (11), pelo secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues e pelo pró-reitor de Ensino e de Graduação da UFBA, Penildon Silva Filho.

Nos Complexos Integrados de Educação são ofertadas diferentes modalidades da Educação Básica e do Ensino Superior. A perspectiva é a de que, com a UFBA, sejam implantados cursos nas áreas da Saúde, do Teatro e da Tecnologia. O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou das expectativas do projeto com a UFBA. “Para nós, esta articulação e a aproximação com as universidades públicas é fundamental para fortalecer a Educação Básica e promover esta ponte, esta integração com o Ensino Superior, mediante a oferta de cursos; dos trabalhos de extensão; dos grupos de pesquisa; e da inclusão destas comunidades, além da relação com a Educação Básica”, destacou.

O pró-reitor Penildon Silva Filho falou sobre os próximos passos. “A nossa proposta é compartilhar espaços em escolas para, juntos, termos atividades de ensino, de pesquisa e de extensão que possam, inclusive, favorecer a formação profissional dos alunos no Ensino Médio. Estamos discutindo a possibilidade implantarmos nas escolas, por exemplo, um curso de Biotecnologia da UFBA; uma clínica-escola de Fisioterapia; uma clínica-escola de Fonoaudiologia; um polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB); e um campus universitário de Ciência, Tecnologia e Cultura, com a presença forte da Escola de Teatro”, destacou.

Sobre os complexos – Os Complexos Integrados de Educação têm buscado planejar, executar e avaliar um conjunto de ações inovadoras em conteúdo, método e gestão, direcionados à melhoria da oferta e da qualidade do Ensino Médio, na proposta de Ensino Integral.

O encontro com a UFBA também contou com a presença do subsecretário da Educação, Danilo Souza; da superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito; do superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Ezequiel Westphal; do coordenador Executivo de Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes; do diretor do Instituto de Ciências da Saúde da UFBA, Roberto Paulo Correio, e da coordenadora da Universidade Aberta do Brasil na UFBA, Márcia Rangel, além dos professores da UFBA, Licko Turle e José Walter Andrade.

Foto: Claudionor Jr 

Mais de 750 mil estudantes voltam às aulas nesta segunda-feira na rede estadual

Depoimentos emocionados de estudantes, educadores, profissionais da Educação, e de familiares dos estudantes marcaram a aula inaugural do ano letivo 2020, nesta segunda-feira (10), na rede estadual de ensino. A aula aconteceu no Instituto Anísio Teixeira (IAT) e contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues. A atividade foi transmitida ao vivo pela TVE e redes sociais da Educação Bahia. A rede conta com 750 mil estudantes.

Ao dar as boas-vindas a todos, o secretário Jerônimo Rodrigues destacou que o ano letivo na rede estadual é dedicado a reverenciar o legado e a memória do educador baiano, Anísio Teixeira, que completa 120 anos de nascimento, em 2020, por meio do projeto 2020: Ano Anísio Teixeira. Jerônimo destacou a importância do envolvimento de todos pela melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes. “Neste momento somos todos pela educação da Bahia, e o nosso desejo é de fazermos todos os esforços para promover a qualidade da educação que os estudantes merecem. A Secretaria existe para desenvolver o conteúdo e a aprendizagem que compartilhamos nesta aula inaugural. As apresentações assistidas foram uma pequena amostra do que vemos nas escolas, uma expressão artística interligada com a aprendizagem. Temos projetos estratégicos para os estudantes utilizando o esporte, a cultura e as ciências, além de recursos como o EMITEC (Ensino Médio com Intermediação Tecnológica) para que possamos possibilitar o atendimento às crianças e jovens”.

Ainda segundo Jerônimo, os esforços são para tornar a escola atraente para os estudantes. “Além dos estudantes que estão na rede estadual, temos que nos preocupar com aqueles que estão fora. Queremos tornar a escola atrativa e inclusiva. Pensando também na Educação Especial, na Educação Indígena, Quilombola e do Campo. Em 2020 queremos a consolidação Educação Baiana. Estamos correndo com as licitações para construção de novas escolas, chamando mais professores e coordenadores pedagógicos e ampliando as escolas da Educação em Tempo Integral. A ideia é seguir de fato os ensinamentos do educador Anísio Teixeira, onde os alunos aprendem com uma formação completa fazendo pesquisa e arte”, disse.

Durante a cerimônia foram destacados projetos desenvolvidas pela Secretaria da Educação do Estado, como o programa Mais Estudo e o Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE). “O Mais Estudo foi muito importante para mim e meus colegas. Isso ajudou a desenvolver o ensino na escola e nos deu uma grande oportunidade de nos prepararmos ainda mais para nossa formação. Espero que o programa dê mais chance a outros estudantes”, ressaltou o estudante Jardel da Silva Santos, 17 anos, monitor certificado de Língua Portuguesa, do programa Mais Estudo, da Escola Família Agrícola da Região de Alagoinhas (EFARA).

O estudante Diego Régis, 17, do curso técnico de nível médio em Agropecuária, do Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Grande, em Barreiras, teve a oportunidade de apresentar, como pesquisador, o trabalho “Utilização do fruto do Jatobá para a produção de bebida nutricional”. “Venho conquistando muito espaço com o trabalho de pesquisa do meu curso. E toda essa experiência na minha formação acaba influenciando outros colegas. Meu irmão que está entrando agora no Ensino Médio já dei a sugestão que faça curso técnico pois realmente é uma oportunidade que abre diversas portas profissionais”, contou.Para Maria Olívia, mãe de Acácia Araújo, 18, do Colégio Edvaldo Brandão, relatou como a escola estadual ajudou na formação de sua filha. “Transferi minha filha para a escola pública e sempre tivemos uma conversa muito franca de que em grande parte o seu aprendizado dependia dela. Mas no Colégio Edvaldo Brandão tivemos uma boa surpresa quando percebemos que tínhamos uma estrutura de aprendizagem muito boa. Ela participou de cursos de teatro, rádio e música, além de estágio. Fiquei feliz porque minha filha teve um excelente aprendizado”, disse. 
Fotos: Claudionor Jr. ASCOM/SEC   

Secretaria da Educação do Estado realiza capacitação de cozinheiras e merendeiras em unidades escolares

Com o objetivo de qualificar as cozinheiras e merendeiras da rede estadual de ensino, a Secretaria da Educação do Estado (SEC) dá continuidade ao cronograma de atividades da Coordenação de Alimentação Escolar. Para isso, a SEC promove a 1ª Semana de Capacitação 2020 de Manipuladores de Alimentos das Unidades Escolares de Salvador e do interior.

A ação com as escolas do NTE-19 Feira de Santana aborda temas como microbiologia; doenças transmitidas por alimentos (DTA´s); higiene dos alimentos; higiene pessoal; higiene ambiental; recebimento e armazenamento de alimentos; saúde do trabalhador; combate a pragas e vetores urbanos; e coleta de amostras estão sendo abordados.

A nutricionista Julia Uzeda, falou sobre a importância do evento, que está ocorrendo, simultaneamente, em todo o Estado. “Estamos no segundo encontro, que tem como objetivo reforçar os conceitos já trabalhados de boas práticas na manipulação dos alimentos, apresentar o cardápio e orientá-las quanto formas de preparação mais saudáveis e seguras do ponto de vista higiênico sanitário”, ressaltou.

A merendeira Sandra Mirada, do Colégio Estadual Imaculada Conceição, uma das participantes da capacitação, falou sobre a oportunidade. “Gostei muito porque cada dia mais a gente aprende a manusear os alimentos, lavar as mãos. Um benefício para nós e para nossos alunos”.

A também merendeira Josenilda Mendes, do Colégio Estadual General Osório, também falou sobre os benefícios do curso. “ aprendemos que para manipular os alimentos existem técnicas específicas e também que a higienização das as mãos, os utensílios e os alimentos são fundamentais para uma merenda saudável”.


Semana de capacitação – A nutricionista Daniele Freire explica que a atividade será desenvolvida em três momentos ao longo do ano, visando alcançar todos os manipuladores de alimentos das escolas do Estado. A 1ª Semana de Capacitação 2020 reúne manipuladores de alimentos de diversas unidades escolares de Salvador totalizando, neste primeiro momento, cerca de 400 pessoas. Ao final da atividade, os manipuladores participantes recebem certificados atestando sua qualificação.

Matrícula na rede estadual de ensino segue até o dia 3 de fevereiro

Secretaria de educação implanta a matrícula on-line na rede estadual. Foto: Camila Souza/GOVBA

A era das novas tecnologias chegou ao universo das matrículas na rede estadual de ensino. Através do SAC Digital, a Bahia se torna o primeiro estado do país a realizar a matrícula on-line, com toda comodidade, através de um computador, um tablet ou do próprio celular. De 20 a 28 de janeiro foram contabilizados mais de 220 mil registros de matrículas nas escolas públicas do Estado, presencialmente ou pelo SAC Digital. No total, mais de 713 mil alunos já estão matriculados para o ano letivo de 2020. Cerca de 480 mil estudantes da rede fizeram a renovação da matrícula entre 21 de novembro e 10 de dezembro.

Para quem ainda não fez a matrícula on-line, de maneira fácil, rápida e segura, a hora é essa. É só baixar o aplicativo SAC Digital no celular, disponível para Android e iOS, fazer o cadastro e se matricular de madrugada, no final de semana, a qualquer hora, sem sair de casa e sem enfrentar filas. A outra possibilidade é através do portal www.sacdigital.ba.gov.br, usando um tablet ou computador, e se matricular em qualquer dia e horário. As matrículas podem ser realizadas para qualquer oferta de ensino até 3 de fevereiro.

O SAC Digital permite, ainda, a verificação de vagas no colégio de interesse do cidadão ou a disponibilidade nas unidades escolares mais próximas de sua residência. Para se matricular através do SAC Digital é só clicar em “Cadastre-se” no menu principal. Em seguida, preencher um formulário. No campo “E-mail”, é necessário informar um e-mail que o usuário costuma acessar. No final do cadastro, será necessário acessar este e-mail para ativar a conta no SAC Digital. A matrícula só poderá ser realizada mediante este cadastro.

O SAC Digital é uma moderna plataforma, que unifica todos os serviços digitais do Estado em um único portal. A matrícula on-line foi incluída nesta plataforma graças à parceria entre a Secretaria da Educação do Estado (SEC), a Secretaria da Administração do Estado (Saeb) e a Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
Fonte: SAEB

Fotos: Josenildo Almeida ASCOM/SEC (foto 1)
            Divulgação/ SAEB (foto 2)

Inscrições para 12ª Olimpíada Nacional em História do Brasil começam na próxima segunda-feira, dia 3

Projeto desenvolvido pela Unicamp contou com mais de 73mil participantes em 2019; competição é aberta para alunos e professores dos 8º e 9º anos e do Ensino Médio de todo o país
As inscrições para a 12ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), projeto desenvolvido pelo Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), têm início na próxima segunda-feira (3). O primeiro prazo para se cadastrar – com desconto – termina dia 9 de março. Já a segunda fase de inscrições segue até 24 de abril – ou até atingir o limite de interessados.Com um formato totalmente original, a Olimpíada de História é aberta para professores e alunos dos ensinos Fundamental (8º e 9º anos) e Médio de escolas públicas e particulares de todo país.


Na última edição, em 2019, registrou número recorde de inscritos com mais de 73 mil participantes de todos os estados brasileiros.Para participar, os interessados devem formar equipes compostas por um professor de História e três alunos. A competição conta com seis fases online – com duração de uma semana cada – além da final presencial realizada na Unicamp, em Campinas-SP.


As provas começam no dia 4 de maio e seguem até 13 de junho. Já a grande final ocorre dias 15 e 16 de agosto.A professora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp e coordenadora da ONHB, Cristina Meneguello, explica que as respostas às questões de múltipla escolha e realização de tarefas podem ser elaboradas pelos participantes com base em debate com os colegas, pesquisa em livros, internet, orientação do professor, além de uma gama de documentos e referências oferecidas.“O principal objetivo da Olimpíada de História é incentivar o desenvolvimento da análise crítica e discussões sobre temas diversos.

Não é necessário que os participantes tenham estudado o conteúdo previamente, uma vez que são oferecidos informações, textos, imagens e mapas para que embasem a elaboração das respostas”, explica.Para a coordenadora, o formato proposto permite que os participantes experimentem e vivenciem como é o trabalho de um historiador.  Além disso, por meio dos conteúdos e do estudo aprofundado dos temas em História do Brasil, a Olimpíada ajuda os estudantes a se preparar para vestibulares, concursos e prova do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), entre outros.

Após as seis fases, no mínimo 200 equipes (800 participantes) serão classificadas e convocadas para a final presencial. O projeto é desenvolvido pelo Departamento de História por meio da participação de docentes, alunos de pós-graduação e graduação da Unicamp.

Serviço:Inscrições:1ª fase: de 03/02 a 09/03 – inscrição por equipe: R$ 38,00 (alunos de escolas públicas) e R$ 78,00 (alunos de escolas particulares)2ª fase: de 10/03 a 24/04 – inscrição por equipe: R$ 58,00 (alunos de escolas públicas) e R$ 118,00 (alunos de escolas particulares) Mais informações, regulamento e inscrições no site: olimpiadadehistoria.com.br

Matrículas abertas para os contemplados no sorteio eletrônico dos cursos técnicos da Educação Profissional

A Secretaria da Educação do Estado iniciou, nesta terça-feira (28), as matrículas dos cursos técnicos de nível médio na modalidade subsequente, ou seja, para quem já concluiu o Ensino Médio, e que tiveram suas vagas selecionadas por meio de sorteio eletrônico. Ao total são 12.395 mil vagas divididas em 45 cursos ofertados nos Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEP), Centros Territoriais de Educação Profissional (CETEP) e unidades compartilhadas na capital e em 97 municípios dos 27 Territórios de Identidade. 

Para a matrícula, os estudantes deverão comparecer à unidade escolar para as quais concorreram à vaga, munidos de documentos como originais e cópias do histórico escolar, cédula de identidade, CPF e comprovante de residência até quinta-feira (30). As aulas serão iniciadas no dia 10 de fevereiro.

Educação Profissional

A Educação Profissional e Tecnológica tem como objetivo consolidar e ampliar a oferta da modalidade em consonância com o desenvolvimento socioeconômico e ambiental dos territórios baianos, promovendo a inserção cidadã na vida social e no mundo do trabalho. Está presente na rede estadual por meio de 232 espaços, sendo 36 Centros Territoriais de Educação Profissional (CETEP), 45 Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEP) e 151 unidades compartilhadas.A oferta chega aos 27 Territórios de Identidade e, em 2019, beneficiou mais de 90 mil estudantes em 158 municípios baianos. Atualmente, são oferecidos 69 cursos e, ao longo do percurso formativo, os estudantes adquirem conhecimentos teóricos e práticos, além de protagonizarem intervenções sociais e desenvolverem projetos e tecnologias sociais de baixo custo e de relevância social.
Foto: Claudionor Jr. ASCOM/SEC

Secretaria da Educação do Estado atinge mais de 50 mil matrículas nesta terça-feira

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) atingiu mais de 50 mil matrículas efetivadas nos colégios da rede estadual de ensino nesta terça-feira (21). Após a equipe técnica do Estado trabalhar incessantemente para resolver os problemas de intermitência, o sistema foi restabelecido e normalizado.

É importante ressaltar que estão garantidas as matrículas de todos os estudantes que procurarem vagas na rede, mesmo após o fim do cronograma estabelecido pela SEC, por isso não há necessidade de pegar filas.

Quem não tiver acesso à internet poderá se dirigir a qualquer unidade escolar da rede estadual mais próxima e sem filas, independente de ser o colégio onde o aluno irá estudar, e solicitar a matrícula para a unidade onde o estudante deseja estudar em 2020.

Foto: Josenildo Almeida ASCOM/SEC