Estudantes da Educação Profissional irão apresentar tecnologias sociais no Virtual Educa Bahia 2018

Projetos voltados à Educação Empreendedora, que incluem intervenções e tecnologias sociais, de baixo custo e de grande alcance social, estão entre os destaques da programação do XIX Encontro Internacional Virtual Educa (Virtual Educa Bahia 2018) – um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, que será realizado entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (no antigo ICEIA), em Salvador, reunindo pesquisadores e educadores da América Latina, Caribe e da África.

 Encontro Estudantil - Foto Sérgio Isensee (86)

Serão montados 25 estandes para a exposição de projetos desenvolvidos por estudantes dos cursos técnicos de nível médio e de cursos de qualificação profissional da rede estadual, que irão apresentar o resultado de ações pedagógicas visando à formação profissional para uma inserção cidadã no mundo do trabalho ou para o empreendedorismo. Também será montada uma cozinha experimental, para que os visitantes possam participar de palestras sobre temas diversos como segurança no ambiente doméstico e até degustar produtos feitos à base da Agricultura Familiar.

O superintendente de Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio Netto, da Secretaria da Educação, fala sobre a importância da iniciativa. “Serão projetos, que em geral são baseados em tecnologias sociais, que têm o objetivo de atender dentro de um contexto territorial em diversas áreas como Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Cultura. São projetos desenvolvidos nos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) nos Centros Estaduais e Territoriais, além de escolas que ofertam cursos da Educação Profissional”, destaca.

Entre os projetos estão o ‘Projeto Social de Inclusão Digital,’ desenvolvido pelos estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (CETEP ) Médio Sudoeste da Bahia, em Itororó (a 425 km de Salvador), e o projeto ‘Sabonete Repelente com borra de café óleo de cozinha’, do CETEP em Saúde Tancredo Neves, em Senhor do Bonfim (a 406 km de Salvador).

O estudante Gustavo Ribeiro, 18 anos, do 3º ano do curso técnico de nível médio em Informática, do CETEP Médio Sudoeste da Bahia, fala da expectativa de apresentar Projeto Social de Inclusão Digital no evento internacional. “Vai ser uma grande experiência passar pelo encontro mostrando o meu conhecimento. Será uma oportunidade, também, para conhecer outros trabalhos e manter um contato com colegas que tenham esse interesse pelo desenvolvimento de projetos”, diz.

Para a professora Delmara Brito, que orientou o projeto de inclusão digital, essa oportunidade também promove uma atividade formativa para o estudante. “A chance de apresentar o projeto em um encontro internacional serve para que o estudante tenha experiências que perpassem as atividades do CETEP. Isto também mexe com a autoestima deles ao se sentirem realizados por um projeto que foi um sucesso em sua região e que pode servir de exemplo para outras localidades, com o objetivo de inserir os idosos no mundo digital”, destaca.

A estudante Daniela Pereira, 20, do CETEP em Saúde Tancredo Neves, em Senhor do Bonfim, vai apresentar o projeto ‘Sabonete Repelente com borra de café óleo de cozinha’. “É muito gratificante estar entre os selecionados para apresentar o projeto em um evento tão importante. Iremos levar soluções que surgiram a partir de necessidades de nossa região com o surto de dengue e que alcançamos graças ao estudo no curso de Meio Ambiente. Nós conseguimos trabalhar com a nossa realidade e agora podemos mostrar esta experiência em um grande espaço de Educação”, comemora.

Outras apresentações – A Secretaria da Educação ainda vai apresentar projetos pilotos que estão sendo desenvolvidos na rede estadual, como a Educação Profissional com Intermediação Tecnológica (EPITEC), a Pedagogia da Alternância nas comunidades rurais, as Fábricas-escolas do Chocolate e do Couro, além das parcerias com o CIMATEC, Sistema S, SEBRAE e Instituto Federal da Bahia (IFBA). “Então, teremos tanto os trabalhos de nossos estudantes e professores no campo das tecnologias sociais e as inovações que eles produzem nas unidades, como também as inovações que a Secretaria vem fomentando na rede estadual da Educação Profissional e Tecnológica”, acrescentar o superintendente Durval Libânio Netto.

Fotos: Divulgação/ Sérgio Isensee