Alimentação escolar através da Agricultura Familiar é tema de debate no seminário virtual da SDR

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) foi tema do último dia do seminário virtual “Parceria mais forte, juntos para alimentar”, na última sexta-feira (29), com transmissão ao vivo pelo canal SDRBahia, no Youtube. Realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o evento contou, no seu debate de encerramento, com a participação do secretário da Educação do Estado (SEC), Jerônimo Rodrigues, além do chefe de Gabinete, Cezar Lisboa, e o superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar, Manoel Calazans, ambos da SEC, que falaram sobre a Chamada Pública da Agricultura Familiar – edital da alimentação escolar da rede estadual de ensino –, que está sendo elaborada com o objetivo de atender a demanda da utilização de 30%, no mínimo, dos recursos do PNAE com gêneros da Agricultura Familiar.

O secretário Jerônimo Rodrigues falou da expectativa sobre o edital. “A nossa maior animação é que, ainda este ano, a gente consiga realizar o edital da alimentação escolar, em parceria com a SDR, para podermos intensificar a participação dos pequenos agricultores no fornecimento às escolas”.

Sob a mediação do chefe de Gabinete da SDR, Jeandro Ribeiro, o chefe de Gabinete da SEC, Cezar Lisboa, falou sobre a importância de discutir a alimentação escolar para o período pós-pandemia do Coronavírus, responsável  pela suspensão das aulas. “Estamos discutindo como se dará o retorno das aulas e sabemos que teremos que ter uma série de ações complementares para poder corresponder ao número de horas que a gente tem a obrigação de oferecer aos alunos e isto significa que vamos usar mais dias da semana, esticar mais os horários e, portanto, teremos que reforçar ainda mais na questão da merenda escolar”.

O superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar da SEC, Manoel Calazans, reforçou que o edital – que está em seus ajustes finais – é uma política de fortalecimento da Agricultura Familiar, resultado de uma parceria da SEC com a SDR e de movimentos cooperativos e de agricultores familiares, que foram voz ativa na elaboração dos termos e das condições do mesmo. “A garantia da segurança alimentar através do programa vale-estudantil teve uma importância ainda maior neste período de pandemia no contexto do estudante e de suas famílias, principalmente aqueles de maior vulnerabilidade, que têm na escola alimentação escolar como um suporte nutricional essencial para ele e seus familiares. O edital entra, agora, também como uma possibilidade real de aquisição por parte das escolas da rede estadual, potencializando, assim, não apenas a chegada de alimentos de qualidade na escola, mas também mexendo na economia local, na economia familiar e isso dá a dimensão da função social que a alimentação escolar tem”.

Sobre o seminário – O seminário virtual “Parceria mais forte, juntos para alimentar” teve início na segunda-feira (25), Dia do Produtor Rural, reafirmando o apoio do governo estadual ao fortalecimento da Agricultura Familiar baiana a partir de ações anunciadas no evento para garantir a produção de alimentos por agricultores familiares. Na estreia do evento foi lançado o Edital 15 – Segurança Alimentar e Nutricional, do projeto Bahia Produtiva, cujo investimento é de R$15 milhões para apoiar 10 mil famílias de agricultores familiares em todos os 27 Territórios de Identidade. O ciclo de debates com painéis envolveu temas como a operacionalização do Pareceria Mais Forte; assistência técnica por consórcios e prefeitura (Mais Ater); Programa de Aquisição de Alimento (PAA); e crédito rural, além do Programa Nacional de Alimentação Escolar, que encerrou a programação nesta sexta.
Foto: Divulgação

Universidades estaduais aprovam indicativo para criação de programa para revalidação de diplomas médicos

As Universidades Estaduais da Bahia (UNEB, UESC e UESB), considerando a competência e autonomia das universidades públicas, prevista na Constituição Federal, aprovaram, por meio de seus Conselhos Superiores, o indicativo para a criação de um programa próprio para a revalidação de diplomas médicos emitidos por instituições estrangeiras. A iniciativa foi amplamente debatida com as Secretarias Estaduais da Educação (SEC) e de Saúde (SESAB), além do Conselho Estadual de Educação (CEE/BA), e segue dentro das propostas de ações do Governo Estadual na prevenção e no combate ao Novo Coronavírus (COVID-19).

O reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e presidente do Fórum de Reitores das Universidades Estaduais, Luiz Otávio, contou sobre a proposta de desenvolver um programa de revalidação do diploma. “Estas decisões quase simultâneas das universidades refletem uma articulação do Fórum dos Reitores no sentido de construir um sistema interinstitucional de revalidação de diplomas médicos. Do ponto de vista social, isso permitirá, em um contexto dramático de emergência de saúde pública, em todo o território nacional e baiano, ampliar as equipes de saúde do Estado com a incorporação de médicos formados no exterior e que pleiteiam a revalidação de seus diplomas em território nacional”, destacou.

Para mobilizar a participação de todas a universidades públicas da Bahia na criação de programas semelhantes, o Governo Estadual irá instituir por decreto um programa de apoio às universidades públicas para revalidação de diplomas de graduação em Medicina expedidos por instituições estrangeiras de educação superior. Com a adesão, as instituições terão suporte para realizar as revalidações e fomentar à ampliação da prestação de serviços médicos no território baiano, que se encontra em ritmo acelerado sob a ameaça da COVID-19.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, ressaltou a importância do programa de auxílio vindo do Governo Estadual. “É uma discussão que já vem sendo feita com o Consórcio Nordeste. A criação de uma Brigada Emergencial de Saúde com uma estrutura que dê condições para que os médicos possam atuar em regiões com  maior necessidade de profissionais. É fundamental as universidades estarem se posicionando e mostrando que podem contribuir ainda mais neste momento de pandemia”, disse.

O Consórcio Nordeste, por meio do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus, também sinaliza a importância das universidades, em conjunto com os gestores de saúde, desenvolverem programas de formação voltados ao cuidado da população no contexto da pandemia, com foco na promoção e prevenção da saúde nos territórios.

Ainda nesta semana a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) deve submeter a proposta do programa de revalidação ao  Conselho Superior para aprovação.Foto: Divulgação 

Governo do Estado antecipa pagamento do Mais Futuro com investimento superior a R$ 4,6 milhões

O Governo do Estado antecipa, pelo terceiro mês seguido, o pagamento do auxílio permanência do programa Mais Futuro. Em maio, o investimento será de R$ 4.689.300,00 destinado aos 12.145 mil estudantes das universidades públicas estaduais baianas (UNEB, UEFS, UESB e UESC). O pagamento, que é feito até o dia 10 de cada mês, chega na conta dos beneficiários na segunda-feira (1º). Os estudantes que migrariam para a etapa de estágio também serão beneficiados.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou que este terceiro repasse do Mais Futuro, desde o início da suspensão das aulas, por causa do novo Coronavírus, mostra o compromisso do Governo do Estado com a Educação. “Estes esforços, em pleno período de pandemia, mostra o empenho para atendermos as demandas da nossa comunidade escolar. O Mais Futuro é um bem-sucedido auxílio de permanência do universitário, que vem contribuindo para dar um maior conforto aos nossos estudantes, neste momento. Com os meses de março, abril e maio, chegamos a um investimento em torno de R$ 15 milhões”, analisou.

O programa Mais Futuro oferece uma bolsa de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora e de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estudam.

Sobre o programa

Criado em 2017, pelo Governo do Estado, o Mais Futuro é um programa de assistência estudantil  para garantir a permanência dos estudantes das universidades públicas estaduais baianas (UNEB, UEFS, UESB e UESC) que se encontram em condições de vulnerabilidade socioeconômica. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior, ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. Os estudantes que já estão na fase final do curso e atendem os critérios também podem ingressar no programa já na fase do estágio.
Foto: Mateus Pereira GovBa

Vale-alimentação já foi entregue a mais de 155 mil estudantes da rede estadual de ensino

Um total de 155.280 estudantes já receberam o vale-alimentação, dados contabilizados até esse domingo (26), em Salvador e mais 21 cidades do interior que têm as redes Assaí e Cesta do Povo com lojas credenciadas. O benefício, no valor de R$ 55 por estudante, está sendo entregue pelo Governo do Estado desde o dia 20 de abril, podendo ser retirado em qualquer dia da semana e enquanto durar o período de suspensão das aulas.

A estudante do 8º ano do Ensino Fundamental, Ellen de Jesus, do Colégio Estadual Artur de Sales, localizado no bairro Campinas de Pirajá, em Salvador, falou da importância do benefício para ela e sua família. “Ajuda bastante para quem não tem condições financeiras. Vamos comprar aquilo que precisamos mesmo, como açúcar, arroz e feijão. E o bom foi que não tivemos dificuldade para pegar o vale-alimentação”,  disse, ao destacar que planejou a ida ao supermercado para evitar filas e aglomerações, conforme orientação da Secretaria da Educação do Estado (SEC).

O vale-estudantil é destinado, exclusivamente, para a compra de gêneros alimentícios, como feijão, arroz, macarrão, carne, frango, frutas, verduras, café e leite. A Rede Assaí funciona das 7h às 22h. A Cesta do Povo e as lojas conveniadas, na capital, abrem das 7h às 20h, e, no interior, das 8h às 20h. Por conta do decreto municipal de Salvador, os supermercados atendem, preferencialmente, aos idosos das 7h às 9h.

A Secretaria da Educação do Estado reforça a orientação para que vá ao supermercado (Assaí ou Cesta do Povo e suas lojas credenciadas) apenas uma pessoa: o estudante, o pai, a mãe ou o responsável, cujo CPF está cadastrado na escola. É preciso apresentar o CPF e um documento de identidade com foto do estudante. Se a retirada for feita por outra pessoa, a mesma deve apresentar um documento de identidade e, se tiver, o CPF.

Outra recomendação é para que, antes de ir ao supermercado, seja confirmado se o CPF já está cadastrado. Para isto, basta ligar para a escola onde o estudante está matriculado; para o número 0800 284 0011; ou verificar pelo Sistema Siadiante no Portal da Educação. Por esses meios, também é possível saber se é para ir na Rede Assaí ou na Cesta do Povo e suas lojas credenciadas.

Para os estudantes que moram onde não há lojas dessas redes, será entregue um cartão alimentação com o mesmo valor, totalizando 800 mil estudantes beneficiados, em todos os 417 municípios da Bahia. Estão sendo investidos R$ 44 milhões de recursos do Governo do Estado com a ação.

Máscaras de proteção –

Juntamente com a entrega do vale-alimentação, o Governo do Estado também está disponibilizando máscaras de tecido para quem estiver na fila sem o uso da proteção. A entrega do primeiro lote, com 14 mil máscaras, acontece em Salvador e no interior. A iniciativa é fruto de uma parceria das secretarias estaduais do Planejamento (SEPLAN), Educação (SEC), de Desenvolvimento Rural (SDR) e de Desenvolvimento Econômico (SDE).Foto: Josenildo Almeida

Centros Territoriais e Estaduais de Educação Profissional cedem impressoras 3D para a fabricação de máscaras hospitalares

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) está entre os órgãos que contribuem para a rede de produção de máscaras hospitalares a serem doadas às unidades de saúde básica e hospitais públicos para o combate ao Coronavírus (COVID-19). O projeto, intitulado Face Shield for Life e coordenado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia (SECTI), contempla a produção de Equipamento de Proteção Individual (EPI), fortalecida com a cessão  temporária de impressoras 3D de Centros Territoriais e Estaduais de Educação Profissional.

O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica do Estado, Ezequiel Westphal, disse que os equipamentos são usados em cursos técnicos de nível médio e destacou a importância da doação temporária  para o trabalho de prevenção e combate ao Coronavírus. “É fundamental um esforço de todos para conseguirmos passar por este momento. Nossos Centros de Educação Profissional em Irecê, Ipirá, Gandú e Lauro de Freitas estão realizando esta doação para fortalecer a produção e possamos contribuir para o trabalho dos profissionais de Saúde”, explicou.

Com a doação dos equipamentos dos Centros Territoriais de Educação Profissional (CETEP) de Irecê (Irecê), da Bacia do Jacuípe (Ipirá) e do Baixo Sul (Gandu) e do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Tecnologia, Informação e Comunicação (Lauro de Freitas) serão beneficiados os hospitais Costa do Cacau (Ilhéus), Prado Valadares (Jequié) e Geral de Ipiaú; as Unidades de Atenção à Saúde Básica (Jequié); e o Hospital Cleriston Andrade (Salvador), além da distribuição direta para  Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB).

A professora e coordenadora do projeto Coronavidas, Cláudia Lopes, do campus de Jequié, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), falou como a doação vem contribuindo para o combate à COVID-19. “Este é um momento de engajamento e união de forças para que consigamos produzir o máximo de protetores. Já conseguimos distribuir mais de 500 máscaras que, além de Jequié, chegaram a mais de 15 municípios, sendo que alguns locais não possuíam nenhuma unidade.”

Fotos: Divulgação

Olimpíada de História lança versão gratuita e aberta ao público durante isolamento devido ao coronavírus

Projeto realizado pela Unicamp prevê uma versão mais compacta, totalmente gratuita e aberta a todos os interessados. Inscrições têm início dia 10 de abril
Após adiar a realização de sua 12ª edição por causa da pandemia do coronavírus, a Olimpíada Nacional em História do Brasil, projeto realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), irá realizar uma versão gratuita e aberta ao público. O projeto, que ganhou nome de “Pré-ONHB 2020″, será totalmente online de 27 de abril a 22 de maio. As inscrições poderão ser feitas de 10 a 30 de abril.

A iniciativa surgiu como uma forma de propor conhecimento e entretenimento neste momento em que boa parte das pessoas cumpre isolamento social. A 12ª edição, que seria realizada entre maio e agosto teve de ser adiada para o segundo semestre devido à pandemia do coronavírus e ainda não tem data definida para ocorrer.A “Pré-ONHB 2020” será semelhante ao projeto original, mas numa versão mais compacta. Ao invés de seis, serão quatro fases online em que os participantes devem, entre segunda e sexta-feira, responder às questões de múltipla escolha e realizar tarefas e desafios propostos.

As etapas também preveem número menor de questões.Diferente do seu formato original, não haverá eliminação a cada fase da competição. O participante poderá aproveitar todas as etapas e ao final receberá um relatório de desempenho.O grande diferencial da “Pré-Olimpíada de História” também está na oportunidade de qualquer pessoa se inscrever, sem critério de idade, profissão, escolaridade etc. A inscrição pode ser individual ou por domicílio – modalidade em que as pessoas em isolamento numa mesma casa poderão participar juntas.

A coordenadora da ONHB e professora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, Cristina Meneguello, explica que proposta surgiu com o objetivo de oferecer às pessoas uma atividade de estudo e lúdica neste período de isolamento. “Muitas pessoas que já participaram da ONHB, agora poderão matar a saudade e se divertir. Também poderá servir como um treino às equipes que participarão da 12ª edição, além de estar aberta a outras pessoas que gostam e se interessam por temas relacionados à História do Brasil”, explica.

As provas são formuladas por docentes, alunos de pós-graduação e graduação ligados ao Departamento de História da Unicamp. O projeto traz conteúdos sobre a História do Brasil, mas também integra temas interdisciplinares como geografia, literatura, arqueologia, urbanismo, atualidades, além de propor debates, análises, leitura etc. Sobre a 12º edição da ONHBApesar do adiamento, a 12ª edição da Olimpíada Nacional em História continua com as inscrições abertas até dia 31 de maio.

Uma nova data para realização da competição ainda será divulgada. A medida foi tomada pela comissão organizadora como uma forma de evitar prejuízos aos participantes e garantir isonomia entre as equipes. Isso porque apesar das seis fases da competição serem totalmente online há necessidade de interação entre os alunos e contato com o professor. “Sabemos que parte dos participantes da ONHB utiliza a estrutura da escola, como computadores e internet, para realizar a prova, o que é inviável neste momento em que as aulas estão suspensas”, afirmou.

“Nós queremos garantir que todos tenham condições estruturais para realizarem a prova e, neste momento em que o isolamento social é recomendado, isso ficou inviável”, acrescentou.
Como será a “Pré-ONHB 2020”Inscrições: de 10/04 a 30/04
GratuitoQuem pode participar: aberto para qualquer interessado e a inscrição deverá ser feita individualmente ou por domicílio
Competição:
1ª fase: 27/04 a 01/05
2ª fase: 04/05 a 08/05
3ª fase: 11/05 a 15/05
4ª fase: 18/05 a 22/05

Mais informações e inscrições estarão disponíveis em breve no site: www.olimpiadadehistoria.com.br/
Assessoria de ImprensaContato: Bruna Mozerassessoriadeimprensaonhb@gmail.com(19) 9 9641-6432 

Governo do Estado determina suspensão das aulas por 30 dias em Salvador, Feira de Santana e Porto Seguro

O governador Rui Costa anunciou, na tarde desta segunda-feira (16), uma série de medidas que visam conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19) na Bahia. As ações serão publicadas em decreto na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (17). O ponto principal do decreto é a suspensão das aulas por 30 dias na rede estadual de ensino em Salvador, Feira de Santana e Porto Seguro, cidades que registraram casos de coronavírus, já a partir de terça-feira (17).

“Ao longo da semana, iremos monitorar a situação em outras cidades e esta medida poderá ser ampliada. Continuaremos a agir com responsabilidade e serenidade para conter e garantir assistência à saúde pública aos baianos e baianas”, destacou Rui. Ainda segundo o governador, os eventos que reúnam mais de 50 pessoas em Salvador, Feira de Santana e Porto Seguro estão suspensos, sejam de cunho religioso, político ou cultural.

Rui ainda determinou a higienização especial para todos os transportes públicos na Bahia. “A medida irá valer para o transporte municipal de cada cidade, intermunicipal, interestadual e mesmo para todos os transportes escolares, sejam eles privados ou públicos feitos pelas prefeituras”.

Também fica estabelecida a medição da temperatura das pessoas que chegam ao estado da Bahia pelos aeroportos, Rodoviária de Salvador e rodovias federais que dão acesso, principalmente, aos passageiros que vêm de São Paulo e Rio de Janeiro.

De acordo com o governador, serão instalados postos avançados na BR-116, BR-101 e na BR-242, que ligam a Bahia ao centro-oeste do país. Caminhões e ônibus serão parados para que a medição da temperatura dos passageiros seja realizada. Aqueles que apresentarem temperatura elevada ou febre não terão a entrada permitida no estado. Caso seja baiano, será orientado sobre os procedimentos que deve adotar.

Também fica suspenso o recadastramento de pensionistas e inativos do Estado da Bahia que é realizado mensalmente. O procedimento ficará suspenso por 90 dias, a partir desta terça-feira (17). As férias e licença-prêmio de todos os profissionais de saúde da Bahia também ficam suspensas e serão reprogramadas posteriormente.

Professores passam por capacitação para realizar avaliações de acuidade visual nos estudantes

Os professores das escolas das redes estadual e municipal de ensino do Subúrbio Ferroviário de Salvador e profissionais das unidades básicas de Saúde que fazem parte do Programa Saúde na Escola (PSE) participaram, nesta quinta-feira (12), de uma oficina formativa com o objetivo de instrumentalizá-los para a realização da avaliação da acuidade visual (Teste de Snellen) nos estudantes identificados com possíveis problemas oftalmológicos. A capacitação foi realizada no auditório do Parque São Bartolomeu, localizado no bairro de Plataforma, em Salvador, e é uma ação conjunta entre as secretarias estaduais da Educação (SEC) e da Saúde (SESAB); as secretarias municipais de Educação (SMED) e de Saúde (SMS), de Salvador; além do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

“A intersetorialidade é uma das premissas do programa Saúde na Escola. E a ação de hoje evidencia isto, onde tivemos os poderes públicos estadual e municipal imbuídos no cumprimento desta atividade. Com isso, esperamos que as unidades escolares consigam implementar ações em prol dos nossos estudantes, no que tange à saúde ocular, uma vez que interfere diretamente nos processos de aprendizagem e que podem influenciar no percurso educativo dos nossos estudantes”, explicou o coordenador de Educação Ambiental e Saúde da SEC, Fábio Barbosa.

A atividade envolveu a participação de 52 unidades escolares (12 estaduais e 40 mancipais) e irá beneficiar, diretamente, 26.068 estudantes, sendo 11.205 da rede estadual de ensino. A SEC já disponibilizou a Escala Optométrica e o Manual Orientador para a realização do Teste de Snellen para as 615 unidades escolares da rede estadual pactuadas ao Programa Saúde na Escola. O material a ser utilizado pelos professores capacitados visa promover a saúde ocular a partir da prevenção, identificação e correção de problemas visuais dos estudantes, a fim de garantir o comprometimento do processo de aprendizagem.

A acuidade visual é o grau de aptidão do olho para identificar a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos. A medição da acuidade visual é feita através da Escala de Sinais de Snellen, que utiliza sinais em forma de E, organizado de forma padronizada e de tamanhos progressivamente menores. Esse procedimento busca identificar entre os estudantes a existência de erros de refração que necessitarão de consulta oftalmológica.

Para a professora Vilma Weber, do Colégio Estadual Doutor Ailton Pinto de Andrade, localizado no bairro do Lobato, a realização do teste refletirá positivamente no aprendizado dos estudantes atendidos. “Esse treinamento é de suma importância para que possamos, junto com a Secretaria da Saúde, visualizar a necessidade de cada aluno individualmente, para que eles tenham um amplo desempenho educacional”, afirmou a educadora.

A médica oftalmologista da SESAB, Lilia Corrêa, que foi uma das instrutoras da atividade, falou da importância da iniciativa. “Esta ação integrada entre as secretarias é essencial no sentido de impedir que alguns educandos possam vir a ter uma perda de visão e que pode evoluir para um caráter irreversível, ou seja, uma cegueira, pela falta de uma correção ótica, que é necessária. Estou feliz em participar desta atividade importante que ajudará a corrigir patologias, como erros refração, miopia, astigmatismo e hipermetropia, para que os estudantes tenham a oportunidade de desenvolver a visão plena”, explicou.

A programação do treinamento contou com palestras sobre os temas “O programa Saúde na Escola e sua contribuição na formação integral dos sujeitos”; “Saúde Ocular e PSE – Conhecendo do fluxo da avaliação na escola à distribuição dos óculos”; “A importância da saúde ocular para os estudantes: instrumentalizando para a prática do Teste de Snellen nas escolas”. Além disso, os participantes fizeram uma atividade prática na qual aprenderam a realizar o Teste de Snellen nas unidades escolares em que atuam.

Fotos: Divulgação 

NTE-19 FEIRA faz homenagem a professoras aposentadas

Na manhã do último sábado (07/03) nas dependências do Colégio Modelo em Feira de Santana , há 116 km de Salvador, aconteceu o primeiro encontro de professoras aposentadas do Território Portal do Sertão. Evento promovido pelo NTE-19 em parceria com todas as Unidades Escolares do território, com intuito de homenagear essas guerreiras servidoras pelos serviços prestados à educação e pela chegada do dia internacional da mulher.
Um belíssimo café manhã abriu as atividades onde as mesmas puderam reencontrar colegas e diretores de suas antigas UEEs de atuação.
O evento contou também com a participação do Dr. psicólogo e neurocientista Kleber Fialho, que dialogou com as participantes sobre a importância de manter a mente cotidianamente ativa mesmo após a velhice; e como é fundamental cuidar também do corpo.


Para a diretora do Colégio Estadual Professora Tecla Mello, a profa. Juliana Vieira o encontro foi: Uma expressão de como a educação é capaz de reassumir seu lugar na sociedade resgatando valores. Unindo pessoas em prol de valorizar o outro, de potencializar o ser humano através do cuidado. Isso que simbolizou a comemoração às Mulheres: proporcionar um momento em que foram aliados força e singeleza.

A diretora Ana Verena, do Colégio Estadual Paulo VI, relata que para ela: O Encontro foi magnífico. Além de estarmos com um público de mulheres em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, também mulheres aposentadas. Eu gostei de ver colegas já aposentados, nossas professoras que já não estão mais na ativa. Foi nítido ver a satisfação do reencontro, e a valorização dos servidores da educação.

A professora aposentada do Col. Est. Paulo VI, Ana Lourdes, relatou que se sentiu muito lisonjeada de ser convidada para um encontro tão significativo, uma felicidade imensa reencontrar amigas que a muitos anos não nos víamos.

Secretarias da Educação e Saúde emitem nota conjunta com orientações sobre o Coronavírus

As secretarias estaduais da Saúde e da Educação elaboraram uma nota conjunta com recomendações que devem ser adotadas nas escolas das redes estadual, municipais e particulares de prevenção ao Coronavírus 2019 (COVID-19). As orientações vão desde o ato de lavar as mãos até o desenvolvimento de ações pedagógicos que contribuam para a mobilização e engajamento de toda a comunidade escolar (estudantes, professores, coordenadores pedagógicos, técnicos administrativos e profissionais da alimentação escolar) e as famílias.  

Na lista também está a orientação para que se evite atividades envolvendo grandes aglomerações em ambientes fechados, durante o período de circulação dos agentes causadores de síndromes gripais, como o novo COVID-19.   Na nota, a SEC ressalta que ações preventivas já são desenvolvidas, durante o ano letivo nas escolas, por meio de programas e projetos voltados à Educação Ambiental e à Promoção da Saúde na Escola. No entanto, alerta sobre a importância do engajamento de toda a comunidade escolar neste processo de prevenção ao COVID-19. Trabalhar pedagogicamente este contexto é fundamental para que os estudantes se apropriem dos conceitos e conheçam como podem ser agentes multiplicadores sobre a prevenção ao Coronavírus junto aos amigos, às famílias e à comunidade onde vivem.   Na nota, a SESAB afirma que mantém a vigilância ativa da circulação dos vírus respiratórios, através do monitoramento constante da situação epidemiológica, gerando boletins e notas técnicas para orientação dos serviços de saúde, dos demais setores e da população. Na ocorrência de qualquer mudança no cenário epidemiológico, que justifique a adoção de outras medidas de prevenção e controle dirigidas à comunidade escolar, haverá divulgação, em tempo hábil, através dos veículos oficiais de comunicação.  

Veja a nota na íntegra:  

SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA   SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA  

09/03/2020   NOTA INFORMATIVA CONJUNTA

A Doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19), causada pelo vírus SARS-CoV-2, é um agente relacionado a infecções respiratórias, que podem apresentar-se com um quadro semelhante às síndromes gripais. Sua transmissão, com base no conhecimento científico adquirido até o presente momento, ocorre através da entrada do vírus no trato respiratório, através do contato com gotículas de secreções, a exemplo muco nasal. Isso pode acontecer através do contato direto com as secreções da pessoa infectada, pela tosse ou espirro, ou de forma indireta, pelo contato com superfícies e utensílios contaminados, levando-se as partículas ao nariz ou à boca através das mãos.   Com objetivo de prevenir a transmissão, recomendamos medidas às instituições escolares, bem como medidas comportamentais, cuja iniciativa cabe aos membros da comunidade escolar – profissionais, alunos e responsáveis. Essas recomendações são relevantes, tendo em vista que as escolas são ambientes fechados, com grande número de pessoas e com realização frequente de atividades coletivas.   Medidas Institucionais

  • Promover, em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), ações de divulgação das medidas preventivas nas escolas;
  • Promover atividades educativas sobre higiene de mãos e etiqueta respiratória (conjunto de medidas comportamentais que devem ser tomadas ao tossir ou espirrar);
  • Recomenda-se a aquisição de sabonete líquido e/ou álcool em gel (70%), a fim de estimular a correta higienização das mãos. Sempre que possível, utilizar dispensadores de sabonete líquido, suporte de papel toalha e lixeiras com tampa por acionamento por pedal nos lavatórios e banheiros. Já os dispensadores de preparações alcoólicas para as mãos devem ser instalados em pontos de maior circulação, tais como: recepção, corredores de acessos à sala de aulas e refeitório;
  • Estimular o uso de lenços de papel, bem como seu descarte adequado;
  • Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços da escola (classes, cadeiras, mesas, aparelhos, bebedouros e equipamentos de educação física) após o uso. Preconiza-se a limpeza das superfícies, com detergente neutro, seguida de desinfecção (álcool 70% ou hipoclorito de sódio);
  • Evitar compartilhamento de copos e vasilhas;
  • Estimular o uso de recipientes individuais para o consumo de água, evitando o contato direto da boca com as torneiras dos bebedouros;
  • Lavar regularmente os brinquedos com água e sabão;
  • Manter os ambientes arejados por ventilação natural (portas e janelas abertas);
  • Evitar atividades que envolvam grandes aglomerações em ambientes fechados, durante o período de circulação dos agentes causadores de síndromes gripais, como o novo coronavírus (COVID-19);
  • Manter a atenção para indivíduos (estudantes e profissionais) que apresentem febre e sintomas respiratórios (tosse, coriza etc.). Orientar a procura por atendimento em serviço de saúde e, conforme recomendação médica, manter afastamento das atividades;
  • Comunicar às autoridades sanitárias a ocorrência de suspeita de caso(s) de infecção humana pelo novo coronavírus (COVID-19);
  • É recomendada a mobilização das famílias e de toda a comunidade escolar, professores, gestores, coordenadores pedagógicos, técnico-administrativos, profissionais da alimentação escolar.

Medidas Individuais (profissionais, estudantes e responsáveis)

  • Higienizar as mãos com água e sabonete/sabão antes das refeições, após tossir, espirrar ou usar o banheiro. Quando não houver sujidade visível, pode-se usar as preparações alcoólicas (álcool em gel a 70%, por exemplo);
  • Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após tossir ou espirrar ou após contato com superfícies; – Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Aplicar a etiqueta respiratória: proteger com lenços (preferencialmente descartáveis) a boca e nariz ao tossir ou espirrar para evitar disseminação de gotículas das secreções. Na impossibilidade de serem usados lenços, recomenda-se proteger a face junto à dobra do cotovelo ao tossir ou espirrar;
  • A criança que apresentar febre abaixo de 37.8°C, tosse e espirros deve permanecer em casa, em repouso com boa alimentação e hidratação.
  • Atentar à presença de febre acima de 37.8°C que persiste por mais de 24 horas e desconfortos respiratórios como cansaço e dispneia. Se estiverem presentes, procurar um serviço de saúde e seguir recomendações médicas;
  • O uso de máscaras por indivíduos sadios não representa, quando adotado de forma isolada, uma medida de prevenção. A lavagem das mãos e a etiqueta respiratória se constituem em medidas de maior efetividade. Além disso, o uso da máscara sem a lavagem das mãos e a etiqueta respiratória pode prejudicar sua eficácia na redução do risco de transmissão.

  A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) mantém a vigilância ativa da circulação dos vírus respiratórios, através do monitoramento constante da situação epidemiológica, gerando boletins e notas técnicas para orientação dos serviços de saúde, dos demais setores e da população.   Na ocorrência de qualquer mudança no cenário epidemiológico, que justifique a adoção de outras medidas de prevenção e controle dirigidas à comunidade escolar, haverá divulgação, em tempo hábil, através dos veículos oficiais de comunicação.   A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) ressalta que ações preventivas já são desenvolvidas, durante o ano letivo nas escolas, por meio de programas e projetos voltados à Educação Ambiental e à Promoção da Saúde na Escola. No entanto, alerta sobre a importância do engajamento de toda a comunidade escolar neste processo de prevenção ao COVID-19. Trabalhar pedagogicamente este contexto é fundamental para que os estudantes se apropriem dos conceitos e conheçam como podem ser agentes multiplicadores sobre a prevenção ao Coronavírus junto aos amigos, às famílias e à comunidade onde vivem.   Mais informações em www.saude.ba.gov.br/coronavirus.